UM PANORAMA DAS MULHERES NAS ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS RELACIONADO AOS CARGOS GERENCIAIS

Gabriela Mara Fagundes Silva, Lawana Anly Kondo, Julio Afonso Alves Dutra

Resumo


Este estudo objetivou discorrer sobre o panorama das mulheres nas organizações, traçando um perfil sobre a mulher no mercado de trabalho, focando em posições de alta gestão, sendo desenvolvida uma pesquisa bibliográfica retratando o histórico das mulheres na conquista de seus direitos em adentrar no mercado de trabalho apesar das dificuldades encontradas, sejam elas por preconceito ou por falta de oportunidades. O estudo descreve este histórico das mulheres nas organizações, sendo para isso discutido também a ascensão das mulheres na sociedade. Em um segundo momento, analisou-se a participação feminina no mercado de trabalho no Brasil, sendo para isso coletadas e agrupadas informações de diferentes bases de dados, retratando diversos aspectos dessa relação entre a mulher e o mercado de trabalho no país. Identificou-se que ainda hoje, poucas são as mulheres que ocupam espaços em cargos de alta gestão nas organizações, mesmo sendo os indicadores sobre a qualificação profissional favoráveis às mulheres. Com isso, realizou-se uma análise sobre as características desejáveis em papéis de liderança nas organizações, sendo discutida também a teoria dos traços, ficando comprovado que a liderança não difere por questão de gênero. Dessa forma, visualizou-se que ainda existe na atualidade elementos favoráveis como relacionamentos interpessoais, trabalho em equipe, empatia e olhar humano, visão sistêmica, persistência diante das dificuldades e atenção aos detalhes que podem fazer a diferença, mas lembrando que os homens e as mulheres possuem habilidades e características distintas, porém complementares.


Texto completo:

PDF

Referências


ADICHIE, Chimamanda Ngozi. Sejamos todos feministas. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

ALMEIDA, Cássia. Mulheres estão em apenas 37% dos cargos de chefia nas empresas. 2017. Disponível em: https://oglobo.globo.com/economia/mulheres-estao-em-apenas-37-dos-cargos-de-chefia-nas-empresas-21013908. Acesso em: 13 maio 2020.

ALMEIDA, Paloma. Gestão igualitária: bases e práticas para uma empresa contemporânea. Curitiba: Appris, 2018.

ARAUJO, Fabricia. Liderança feminina nas organizações: um novo espaço para a mulher. um novo espaço para a mulher. 2014. Disponível em: https://administradores.com.br/artigos/lideranca-feminina-nas-organizacoes-um-novo-espaco-para-a-mulher. Acesso em: 25 maio 2020

BALTAR, P.; LEONE, E. T. A mulher na recuperação recente do mercado de trabalho brasileiro. Revista Brasileira de Estudos Populacionais, São Paulo, v. 25, n. 2, p. 233- 249, jul./dez. 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ rbepop/v25n2/v25n2a03.pdf. Acesso em: 13 maio 2020.

BETOLIN, Patricia Tuma Martins et al. Mulher sociedade e vulnerabilidade. Erechim-RS: Editora Deviant, 2017. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2020.

BHAT, Nilima; SISODIA, Raj. Liderança Shakti: o equilíbrio do poder feminino e masculino nos negócios. Rio de Janeiro: Alta Books, 2019.

BONIATTI, Amanda Oliveira et al. A evolução da mulher no mercado contábil. Revista Gestão e Desenvolvimento em Contexto, Cruz Alta, v. 2, n. 1, p. 19-27, maio 2014. Disponível em: http://www.revistaeletronica .unicruz.edu.br/index.php/GEDECON/article/view/304/400. Acesso em: 04 maio 2020.

BRASIL. Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região. NJ Especial - Sexismo no Trabalho: profissionais ainda enfrentam discriminação de gênero. 2017. Disponível em: https://trt-3.jusbrasil.com.br/noticias/436070671/nj-especial-sexismo-no-trabalho-profissionais-ainda-enfrentam-discriminacao-de-genero. Acesso em: 28 jun. 2020.

BRASIL. Tribunal Superior Eleitoral. Dia da conquista do voto feminino no Brasil é comemorado nesta segunda (24). 2020. Disponível em: http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2020/Fevereiro/dia-da-conquista-do-voto-feminino-no-brasil-e-comemorado-nesta-segunda-24-1. Acesso em: 24 jun. 2020.

CABRAL, Samuel Couto. Identidade feminina: a reconstrução do ser. Madrid: Vision Libros, 2012. Disponível em: Acesso em: 30 abr. 2020.

CHIAVENATO, Idalberto. A liderança. {S.l.: s.n.} f.135-190. {2009?}. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. Disponível em: https://profeltonorris.files .wordpress.com/2014/02/livro-teoria-geral-da-administrac3a7c3a3o.pdf. Acesso em: 15 maio 2020.

CRIVELLARO, Débora. Estas são as frases que as mulheres não aguentam mais ouvir no trabalho. 2019. Disponível em: https://vocesa.abril.com.br/carreira/essas-sao-as-frases-que-as-mulheres-nao-aguentam-mais-ouvir-no-trabalho/. Acesso em: 28 jun. 2020.

FAHS, Ana C. Salvatti (org.). Movimento feminista. 2016. Disponível em: https://www.politize.com.br/movimento-feminista/. Acesso em: 24 jun. 2020.

FERNANDES, Maria Neyrian de Fátima et al. Assédio, sexismo e desigualdade de gênero no ambiente de trabalho. Revista Eletrônica da Faculdade de Direito de Franca, Franca, v. 14, n. 1, p. 237-253, jun. 2019.

FRANCISCANI, Jane Stella. A mulher no mercado de trabalho e a luta pela valorização. 2010. 38 f. (TCC – Graduação em Administração). Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis, Assis. Disponível em: https://cepein.femanet.com.br/BDigital/arqTccs/0711260266.pdf. Acesso em: 07 jun. 2020.

GANDRA, Alana. IBGE: mulheres ganham menos que homens mesmo sendo maioria com ensino superior: 2018. Disponível em: https://agenci abrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-03/ibge-mulheres-ganham-menos-que-homens-mesmo-sendo-maioria-com-ensino-superior. Acesso em: 17 jun. 2020.

GARCIA, Lucilene. A mulher e a evolução dos seus direitos. 2009. Disponível em: https://espaco-vital.jusbrasil.com.br/noticias/1944790/a-mulher-e-a-evolucao-dos-seus-direitos. Acesso em: 24 maio 2020.

GOLDSTEIN, Marcela. Corporate women directors international. Washington DC: Placing Women on Corporate Boards. 2015. Disponível em: https://www.globewomen.org/CWDI/CWDI%202015%20Latin%20America%20Press%20Release.pdf. Acesso em: 13 jun. 2020.

GUIMARÃES, Gilberto. Liderança positiva: para atingir resultados excepcionais. São Paulo: Évora, 2012. Disponível em: https://books. google.com.br/books?id=Pkh7xiTkNSQC&printsec=frontcover&dq=lideran%C3%A7a&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwiQ1rSijL7pAhU5IbkGHf3oAiEQ6AEIOzAC#v=onepage&q=lideran%C3%A7a&f=true. Acesso em: 13 mar. 2020. pag. 2

HADDAD FILHO, Jorge. Pequena história dos anticoncepcionais. 2015. Disponível em: https://www.spdm.org.br/blogs/reproducao-humana/item/1777-pequena-historia-dos-anticoncepcionais. Acesso em: 07 jun. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Conheça o Brasil – População: quantidade de homens e mulheres. IBGE Educa. 2020. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18320-quantidade-de-homens-e-mulheres.html#:~:text=A%20população%20masculina%20apresentou%20padrão,etária%2C%208%2C6%25. Acesso em: 02 jun. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Em média, mulheres dedicam 10,4 horas por semana a mais que os homens aos afazeres domésticos ou ao cuidado de pessoas. Agencia IBGE Notícias. 2020. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/27877-em-media-mulheres-dedicam-10-4-horas-por-semana-a-mais-que-os-homens-aos-afazeres-domesticos-ou-ao-cuidado-de-pessoas. Acesso em: 10 jun. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Estatísticas de Gênero - Indicadores sociais das mulheres no Brasil: Tabela Resumo dos Indicadores. 2018. Disponível em: fttps://ftp.ibge.gov.br/ Estatisticas_de_Genero/Indicadores_sociais_das_mulheres_no_Brasil/xls/Tabela_Resumo_Indicadores_20180518.xls. Acesso em: 02 jun. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. PNAD Contínua 2019: rendimento do 1% que ganha mais equivale a 33,7 vezes o da metade da população que ganha menos. Agencia IBGE Notícias. 2020. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/27594-pnad-continua-2019-rendimento-do-1-que-ganha-mais-equivale-a-33-7-vezes-o-da-metade-da-populacao-que-ganha-menos. Acesso em: 10 jun. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA - INEP. Sinopse Estatística da Educação Superior. 2016. Brasília: Inep, 2017. Disponível em: . Acesso em: 15/06/2020.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA - INEP. Mulheres são maioria na Educação Superior brasileira. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/artigo/-/asset_publisher/B4AQV9zFY7Bv/content/mulheres-sao-maioria-na-educacao-superior-brasileira/21206. Acesso em: 09. mar. 2020.

KANAN, Lilia Aparecida. Poder e liderança de mulheres nas organizações de trabalho. Revista Organizações & Sociedade, v. 17, n. 53, Salvador, abr./jun., 2010.

LEAL, Joana. Inserção da mulher no mercado de trabalho foi passo importante para novas configurações sociais. 2016. Disponível em: http://www.usp.br/aun/antigo/exibir?id=7501&ed=1302&f=23. Acesso em: 07 jun. 2020.

LIMA, Marcia; ABDAL, Alexandre. Educação e trabalho: a inserção dos ocupados de nível superior no mercado formal. Sociologias, Porto Alegre, p. 216-238, jun. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/soc/n17/a09n17.pdf. Acesso em: 16 jun. 2020.

MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru (ed.). Introdução à administração. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

MELO, Alexandre de. Os fatos históricos que marcaram as conquistas das mulheres. 2013. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/3522/os-fatos-historicos-que-marcaram-as-conquistas-das-mulheres. Acesso em: 31 maio 2020.

NUNES, José Luiz Fernandes. O empreendedorismo feminino e o estilo de liderança no conselho da mulher empreendedora no Conselho da Mulher Empreendedora da Associação Comercial de Minas Gerais. 2006. 110 f. Dissertação (Mestrado em Administração - Modalidade Profissionalizante). Fead - Minas, Belo Horizonte. Disponível em: http://livros01.livrosgratis.com.br/cp078587.pdf. Acesso em: 29 abr. 2020.

PINTO, Céli Regina Jardim. Feminismo, história e poder. Revista de Sociologia e Política, [s.l.], v. 18, n. 36, p. 15-23, jun. 2010. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0104-44782010000200003.

RENESCH, John (org.). Liderança para uma nova era: estratégias visionárias para a maior das crises do nosso tempo. São Paulo: Cultrix, 2003. Disponível em: https://books.google.com.br/books?id=_B0ltV8VKNUC&sitesec=buy&hl=pt-BR&source=gbs_vpt_read. Acesso em: 13 maio 2020.

RODRIGUES, Simone Freire Araújo. Lutas em silêncio: mulheres negras e escravas foram reduzidas à condição de “máquinas vivas”. 2012. Disponível em: https://www.geledes.org.br/lutas-em-silencio-mulheres-negras-e-escravas-foram-reduzidas-condicao-de-maquinas-vivas/. Acesso em: 30 jun. 2020.

SILVA, Fernanda Borges da. Desafios das mulheres em cargos de liderança. 2017. 73 f. (TCC – Graduação em Curso de Administração de Empresas), Universidade do Vale do Taquari, Lajeado. Disponível em: https://www.univates.br/bdu/bitstream/10737/1962/1/2017FernandaBorgesdaSIlva.pdf. Acesso em: 13 maio 2020.

SILVA, Maria da Penha. Mulheres negras: sua participação histórica na sociedade escravista. Cadernos Imbondeiro, João Pessoa, v. 1, n. 1, p. 1-8, 2010.

SOUZA, Maria Iná de Abreu et al. Relação entre a desigualdade e educação no Brasil: uma estimativa de dados em painel. In: Semana de Economistas & Encontro de Egressos, 4., 2014, Ilhéus - Bahia. Anais [...]. Ilhéus - Bahia: Universidade Estadual de Santa Cruz, 2014. p. 1-20. Disponível em: http://www.uesc.br/eventos/ivsemeconomista/anais/gt7-8.pdf. Acesso em: 16 jun. 2020.

STREY, Marlene Neves; CÚNICO, Sabrina Daiana. Teorias de gênero: feminismos e transgressão. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2016.

TEMÓTEO, Antonio. Machismo e preconceito atrapalham mulheres dentro de empresas, diz pesquisa. Correio Brasiliense. 2013. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2013/10/07/internas_economia,392132/machismo-e-preconceito-atrapalham-mulheres-dentro-de-empresas-diz-pesquisa.shtml. Acesso em: 16 jun. 2020.

TOCCHETTO, Daniela; FRANCO, Elenice Pires; TOMASI, Renata de Rezende Lovera. As mulheres nas organizações: gênero e liderança. Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos, 2016. Disponível em: . Acesso em: 05 de maio de 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.